Videfrigo

Transporte de vacinas: conheça os cuidados necessários

Uma perda de até 50% dos medicamentos é observada ao longo das várias etapas da cadeia logística, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). Dessa forma, o controle preciso e contínuo de temperatura no transporte se mostra essencial para reverter este quadro e ainda mais crítico em tempos de pandemia.

Com a pandemia causada pelo coronavírus, a população mundial ficou à espera de uma vacina para que vidas deixem de ser perdidas e a economia, viagens e a rotina social voltem à normalidade. Países como China, Estados Unidos, Inglaterra e Rússia estão na corrida para patentear a vacina capaz de prevenir a contaminação pela Covid-19. Quando a vacina estiver pronta, é fundamental que cuidados no transporte sejam tomados, afinal, um dos principais pontos críticos para a Indústria Farmacêutica está relacionado ao momento que lotes de vacinas deixam a fábrica e são encaminhadas a centros de distribuição de farmácias, laboratórios e armazéns regionais.

De modo geral, a vacina não pode passar por variações de temperatura, pois isto pode vir a comprometer sua eficácia. Fármacos deste tipo devem ser transportados a uma temperatura entre 2°C e 8°C, o que é um desafio em um país como o Brasil, com tantas variações no clima e proporções continentais com grandes distâncias a serem percorridas, como o Brasil. A carga, portanto, necessita de um equipamento altamente confiável que faça a refrigeração durante todo o transporte- de preferência, que garanta o reajuste automático de acordo com a temperatura externa. Somente assim é possível assegurar a integridade da carga transportada e a qualidade da vacina que o cidadão brasileiro receberá.

 

Guia de controle da ANVISA

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) possui um guia para a qualificação de transporte dos produtos biológicos, incluindo orientações para medicamentos biológicos e imunobiológicos, como as vacinas. Testes de estabilidade e estresse precisam ser feitos, o que significa uma avaliação do tempo em que o produto ficará em viagem e os cuidados que devem ser tomados durante o trajeto. A empresa transportadora necessita adotar medidas para que as temperaturas sejam mantidas mesmo em condições adversas. O documento determina comprovação da cadeia logística, incluindo a capacidade de monitoramento contínuo da temperatura e um sistema de logística qualificado.

Um dos mercados mais afetados pela falta de planejamento no transporte é o de medicamentos. A Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta que 50% das vacinas chegam ao destino deterioradas, principalmente devido a falhas no controle de temperatura. De acordo com Claudio Biscola, Gerente de Vendas Thermo King – América do Sul, empresa líder em soluções para controle de temperatura para o transporte, os problemas seriam evitados se houvesse ajuste automático de temperatura nos baús e containers.

“O transporte e armazenamento de vacinas exige medições de parâmetros que forneçam 100% de certeza à indústria, ao operador logístico, aos centros de distribuição regionais e aos hospitais, laboratórios e postos de saúde. O monitoramento e registro de dados de alta performance durante toda a cadeia do frio é fundamental durante esse processo, seguindo todas as determinações das autoridades regulatórias a fim de garantir que os medicamentos sejam entregues aos pacientes com sua integridade garantida. À vista disso, o ajuste automático de temperatura em relação ao ar externo é essencial para o transporte de vacinas. Muitos equipamentos no mercado não possuem essa capacidade. Na Thermo King, todas as linhas de equipamentos de refrigeração possuem essa configuração de controle e ajuste preciso da temperatura para o transporte adequado de produtos fármacos”, explica.

Além dos cuidados com a temperatura, algumas medidas também são necessárias para o transporte de vacinas e medicamentos. São elas:

  • Garantir que o alto nível de qualidade, eficácia, segurança e rastreabilidade do produto seja mantido em toda a cadeia de distribuição;
  • Registros de dados de temperatura durante o transporte;
  • Gerenciamento de dados para auditoria (histórico de serviço mínimo de 5 anos);
  • Certificação de qualidade dos equipamentos de refrigeração;
  • Procedimentos de limpeza;
  • Treinamento de motoristas para operação de carga refrigerada.
COMPARTILHE:
VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Pequenos caminhões ganham espaço na pandemia e aquecem o mercado de logística
30set

Pequenos caminhões ganham espaço na pandemia e aquecem o mercado de logística

Com o boom do serviço de delivery, opção se mostra ideal para metrópoles por aliar mobilidade e capacidade de armazenamento.

Thermo King lança o Advancer, inovação em equipamentos para  transporte refrigerado
04jan

Thermo King lança o Advancer, inovação em equipamentos para transporte refrigerado

Com tecnologia inovadora de fluxo de ar variável, maior eficiência de consumo de combustível e custo reduzido de operação e manutenção, o Advancer representa o futuro da refrigeração no transporte.

Conheça os cuidados necessários para o transporte do morango
25set

Conheça os cuidados necessários para o transporte do morango

Além da temperatura controlada, outros fatores são igualmente importantes para a preservação do delicado fruto.

Nossa equipe de suporte ao cliente está aqui para responder às suas perguntas. Entre em contato!
WeCreativez WhatsApp Support
Thiago Miotto
Comercial
Online
WeCreativez WhatsApp Support
Thiago Padilha
Peças
Online
WeCreativez WhatsApp Support
Adriano Bochi
Serviços
Online